Make your own free website on Tripod.com

Amazon Pit Kennel

Visite a página de trabalhos acadêmicos e as fotos dos melhores Pits da Amazônia.

 

 

Acima

 

“FEBRE AFTOSA”

 

1- Conceito

- É uma doença inicialmente febril de caráter aguda, altamente contagiosa, e se caracteriza pela formação de vesículas ou aftas na pele e nas mucosas, principalmente na boca, entre os dedos, no úbere.

2- Etiologia

- O vírus é um Picornavírus do grupo Rhinovírus, é um dos menores vírus que se conhece. É um RNAvírus, não possui envelope e é estado em ph 7,6. Não resiste a ph menor que 5 ou maior que 9. A 100oC é desativado imediatamente, à 56oC resiste por até 30 minutos. Resiste até 76 dias na medula óssea. Resiste ao fenol, cresol, álcool, cetona, clorofórmio e detergentes. É sensível aos ácidos e bases.

- É cultivado na célula BHK20 e apresenta vários tipos e subtipos.

3- Susceptibilidade

- Animais ungulados (cascos fendidos), bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos e suínos.

- Os bovinos recuperados se tornam portadores permanentes.

- Os cervídeos são reservatórios naturais.

4- Transmissão

- Contaminação de água e alimentos pela saliva de animais doentes e portadores.

- O homem, os veículos, pássaros (são grandes transmissores) e no caso da aftosa de úbere, a mão do ordenhador ou o copo da ordenhadeira mecânica.

- Não ocorre epidemiologicamente.

5- Patogenia

- Ingestão de água ou alimentos contaminados – o vírus chega ao epitélio digestivo – onde vai formar vesículas primárias – PI de 2 a 6 dias – as vesículas se rompem – causando viremia (multiplicação no sangue), onde se tem febre, sendo o primeiro sinal da aftosa – distribuição e localização nas mucosas e peles formando vesículas secundárias.

- Febre aftosa fulminante é quando o vírus tem predileção pelo trato respiratório.

- Em suínos a mortalidade é 100%.

- Quando é do tipo C tem tropismo pelo coração e em bezerros temos morte súbita e quando ocorre em adultos pode-se ter cardiopatia crônica, onde o animal come pouco e adora ficar na sombra.

6- Sintomatologia

- O 1o é a febre que aparece após o PI (2 – 6 dias), em alguns casos dependendo da virulência da cepa, do tipo e subtipo esse PI pode cair pra 24 horas. A partir daí aparecem as aftas podais e orais. Em seguida a formação de vesículas, que nos bovinos as mais importantes são as bucais, ocasionando uma salivação. Os bezerros podem apresentar distúrbios digestivos. Não é comum, mas a febre aftosa pode ocasionar o aborto. Nos suínos as aftas podais ocorrem mais comumente, e também há uma grande mortalidade de jovens.

7- Complicações

- Em rebanho leiteiro a infecção do úbere abre porta para as mamites.

- Nos dedos pode causar Cabarro (proliferação de tecidos granulomatosos sobre a ferida), que dói e conseqüentemente o animal não anda, morrendo de debilidade.

- No tipo C, causa as cardiopatias crônicas que provocam uma queda de 50% na produtividade do rebanho.

8- Diagnóstico diferencial

- Exantema vesicular (doença vesicular dos suínos)

Caliciviridae - calicivírus

Pode acometer eqüin

- Estomatite vesicular (Pseudo-aftosa)

Eqüino, bovinos, suínos e homem.

Drosophila Phlebotomo

Estomatite – vesículas pequenos com líquido amarelo.